faz o que dizes não digas o que fazes

ede78ebd060e50a676e85a3fd76fa599

O problema nunca foi a falta de palavras bonitas. Essas sobravam-te. Eram poucas, é verdade, mas repetias uma e outra vez, uma e outra vez, como um mantra sem fim. Talvez fosse também um problema. A abundância leva à desvalorização. Um “gosto de ti” repetido muitas vezes deixa de transpor sentimento. Um “és importante para mim”, todos os dias perde importância. As palavras bonitas devem ser medidas, tal qual os antibióticos devem consumir-se com moderação, sob pena de deixarem de fazer efeito.

O verdadeiro problema era os gestos não coincidirem com as palavras…

Anúncios

2 comentários sobre “faz o que dizes não digas o que fazes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s